Corações Sujos

    Corações Sujos

    Corações Sujos

    No Brasil, a guerra não acabou
    1 h 47 min
    Metadata
    Título Corações Sujos
    Título Original Corações Sujos
    Diretor Vicente Amorim
    Tempo de Filme 1 h 47 min
    Data de Lançamento 13 de outubro de 2011
    País
    Orçamento
    Receita

    A resenha do filme Corações Sujos (Dirty Hearts) foi escrita pelo jornalista Edson Kameda

    É uma delicada historia de amor de um casal que vive em terras estrangeiras, no caso, no interior do estado de São Paulo, que sofre todas as conseqüências imagináveis e inimagináveis de um clima característico de pós-guerra, onde os valores tradicionais tentam sobreviver a uma avalanche de mudanças do cenário político mundial e conseqüentemente das relações sociais no país.

    Ele é um fotógrafo que trabalha na comunidade e sua esposa, professora de língua japonesa que ensinava as crianças as escondidas, pois, no Brasil apesar do término da guerra ainda era proibido por lei o ensino de línguas estrangeiras no país.

    Corações Sujos

    Cartaz do Filme Corações Sujos

    O drama vivido pelo casal advém da falta de informação sobre a situação japonesa no cenário mundial, ambiente propício para o surgimento de fundamentalistas e aproveitadores, o que resulta na divisão da comunidade entre os que acreditavam e os que não na rendição do Imperador Hiroíto na segunda guerra mundial.

    O romance é fictício, mas as características dos personagens são verossímeis e o cenário é real, pois foram extraídos de vários relatos publicados no livro reportagem “Corações Sujos” de Fernando de Morais, que conta em detalhes os fatos acontecidos nos anos 46 e 47 em várias cidades do interior e também na capital de São Paulo onde existiam as comunidade de imigrantes japoneses.

    O elenco é formado por atores veteranos do Japão que fazem grande sucesso em novelas da televisão japonesas e atores nikkeis do Brasil de várias comunidades do interior do estado de São Paulo e do Paraná, bem atores brasileiros conhecidos como Eduardo Moscovis no papel de delegado de polícia da época.

    Apesar do autor do livro em que o filme foi basedo, o diretor e o roterista serem brasileiros conseguiram fazer uma produção de primeiríssima qualidade onde o cenário revela com exatidão os costumes da época nas comunidades, as associações, as cooperativas, as relações entre as famílias, os valores trazidos do país de origem, o censo de coletividade sobrepondo a individualidade enfim, relata com detalhes o espírito do povo japonês com delicadeza e, sobretudo com muito respeito.

    Num país onde a população é eminentemente formada por imigrantes de todas as partes do mundo, a realização de uma produção deste naipe, presta um grande serviço à comunidade não só a nipo-brasileira, mas principalmente ao povo brasileiro como um todo na formação de sua identidade própria, pois o filme mostra de uma forma não maniqueísta a importância da integração entre os diferentes para convivência pacífica e harmônica de um povo que ainda esboça a formação de uma nação forte e justa, a nação brasileira.

    Veja o Trailer do Filme Corações Sujos

    Postar seus comentários